Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Not quite sun, not quite the moon



Quinta-feira, 06.06.13

Suffer the little children

Suffer the little children

 

A coisa começou torta, como aqueles incisivos que vêm, em trote gengival, ameaçando furar os beiços das criancinhas. A declaração tem um princípio, falo com propriedade: entrei e o corredor, com portas coloridas (púrpura-fada, amarelo-pirlimpimpim, azul-fastiento), tinha ao fundo uma fonte exotérica que jorrava um esguicho murcho, uma aguinha mole que gritava recalcamento. Sentei-me, rabo enterrado numa poltrona negra com cheiro a estofador forreta, napa a anunciar dali até ao hall que tinha o traseiro nela a dar a dar.
Entro? Obrigada, Doutora, tal e tal. Ah, sim, as manchas (a cada Rorschach dela, eu via desfilar cremes Yves Rocher, depois os bombons). Não, Doutora, estou aqui, sim. Eu? Em nada, estava a ouvi-la. Não há divã? Não, não me importo. Pois, é dos filmes. Vamos passar?

A mudança da cadeirinha para o cadeirão, deve haver aqui um significado oculto, Deus meu, tudo tem de ter significados ocultos, chiça, mas o Vamos Passar? era o mesmo da minha cabeleireira, quando me quer tirar da calha, ela que cortava os cabelos ao Rónaldo, descobri no outro dia, enquanto me metia a tesoura nas farripas do ensaio franjático que experimentou em mim — isto também deve ser parábola para símbolo escondido, Jesus.
Saí e ela agarrou-se-me, beijou-me as faces, afagou-me o bracinho direito, e disse só o meu nome cristão. Espero que isto lhe faça sentido, atirou ela. Far-me-á sentido, e vou já de encontro, pelo sim, pelo não.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por T.


2 comentários

De Carla Ferreira a 09.06.2013 às 15:11

Duas meninas que olham uma para a outra a fazer "boquinha". Têm o cabelo levantado porque brinca, e abanam as mãos para trás. Agora tu. Prometo que não brinco às psicólogas.


( é a minha preferida, esta.) 

De T. a 09.06.2013 às 21:54

Meninas do Antigo Egipto rodam a cabeça brincando ao Exorcista. Ficam com os cabelos em pé, coisa que se pode provar pelos rabos-de-cavalo erectos. São siamesas e estão fartinhas uma da outra. (gosto mais de uma que tem umas armas e uns homens de meia tigela encapuçados, mas esta está no meu top 3).

Comentar post



por Tânia Raposo


Pesquisar

Pesquisar no Blog